Lanche para o bebé de Banana e Abacate

Aquela hora em que o almoço já lá vai e ainda falta tanto para o jantar….
Comer fruta é sempre uma óptima alternativa às papas para o lanche, sobretudo as instantâneas. E fazer misturas é sempre uma boa opção, desde que sejam ponderadas e, já agora, convém ser depois do bebé já conhecer os sabores e as texturas das frutas envolvidas individualmente.

Hoje fizemos uma mistura bastante simples. Meia banana e um quarto de abacate. Para bebés mais pequenos podem sempre passar as frutas pela varinha mágica para ficar uma papa mais homogénea. Para o Kiko, quando lhe dou papas de fruta, prefiro esmagar simplesmente com um garfo, para ficar grumoso mesmo e ele sentir mais textura.

Foi muito engraçado ver a reacção. O Kiko já conhece bem os alimentos e antes de comer seja o que for gosta de espreitar para dentro do prato ou da tijela. Quando é banana começa logo a dançar, e era mesmo banana que ele pensava que ía comer. Não estava muito longe da verdade mas não estava a contar com o abacate. Depois de um franzir de sobrolho e uma olhar de quem está a pensar “algo não está certo com esta banana….”, não demorou muito até a tijela estar vazia e até haver alguma reclamação por mais (guloso!). Sem dúvida, um lanchinho para repetir.

Gelatina para bebés

Que guloseima é esta? Ora é uma boa alternativa à frutinha como sobremesa, por exemplo.

Já há algum tempo que andava a pensar em sobremesas alternativas à fruta, fosse ela inteira ou em purés, mas que se mantivessem nutritivas. Não foi difícil excluir “milhentas” hipóteses recheadas de açúcar, até que cheguei à gelatina.

A primeira paragem foi mesmo a despensa onde tenho sempre uma gelatina para o que der e vier. Mas a tabela nutricional foi reveladora. Apesar de não ter tanto açúcar como a grande maioria das sobremesa, ele está lá. Daqui, a segunda paragem foi mesmo o supermercado. Vamos lá à caça de tabelas nutricionais sem açúcar ou com muito pouco… também não podemos ser extremistas e esperar milagres. Lembrem-se mães que, por mais saudável que um produto com fruta seja, nunca terá 0% de açúcares devido à frutose presente na própria fruta.

No meio da imensidão de produtos e ofertas, a primeira direcção (pareceu-me lógica) foi as gelatinas Light e 0% de açúcar. De facto muitas delas têm 0% de açúcar… mas contém aspartame. Já agora, o aspartame é um aditivo alimentar utilizado para substituir o açúcar comum e, para além de ser menos denso, tem maior poder para adoçar (cerca de 200 vezes mais doce que a sacarose). O aspartame também é encontrado sob o nome de edulcorante E 951. Não é, definitivamente, uma opção que tome em consideração. Pessoalmente prefiro o velhinho açúcar, mas isso já é escolha pessoal (tal como disse).

Andei a remoer e insistir no assunto mais uns quantos dias. Por vezes, sou mesmo de ideias fixas, verdade. Cheguei à conclusão que o melhor seria mesmo fazer em casa. Até parece que acabo sempre por bater na mesma tecla.

Na verdade não dá muito mais trabalho, nem ocupa muito mais tempo do que uma gelatina instantânea… já não vou comparar, como é óbvio, com as que vêm já feitas. Então como fiz? Simples, comprei gelatina neutra que contém 0.50g de açúcar versus os habituais cerca de 13g. Pode também optar pela saudável ágar-ágar. Depois espremi duas tangerinas deliciosas e docinhas (cerca de 100ml) e juntei a 2 folhas de gelatina dissolvidas em 150ml de água, mais 150ml de água fria (no total 300ml de água). A gelatina pode ficar mais ou menos “aguada”, depende do que pretendem. Sendo um citrino, eu preferi, desta vez, e sendo que o Francisco ainda só tem 15 meses, dissolver mais o sumo da tangerina.

Aproveitei ainda os boiões vazios da fruta para colocar as doses de gelatina, o que se torna prático também se quisermos levar para consumir fora de casa.

Espero que façam mais experiências do que eu e partilhem 🙂

É carnaval!!!

É carnaval, vamos brincar a dobrar. E está cá a parecer que as máscaras eostão a aumentar com o passar do tempo.

Lembram-se de ter dito que me ía aventurar de novo na costura? E aventurei mesmo. Por entre tecidos e linhas lá desencantei mais um disfarce bem engraçado de carnaval. É, apesar de alguns percalços este ano, ficou Yaba-daba-dooo. Resultou num Fred Flintstone de pijama.

Como este ano foi a dobrar, temos usado também outra máscara. Está não foi feita pela mamã mas também não foi comprada com excepção de um acessório. Da idade da pedra passámos para o Velho Oeste e mascaramo-nos de xerife. Optei por comprar um chapéu com estrela de xerife, e ao armário fomos buscar o lenço vermelho dos concertos de Xutos e Pontapés, umas calças e uma camisa de ganga e, para finalizar, o lápis dos olhos da maquilhagem da mãe para fazer um belo bigode.

No total acabei por gastar 2.80€ no material para o fato de Fred Flintstone, já que as linhas de costura já tinha em casa, e 2,69€ no chapéu de xerife. É não ficou bem giro?

Ainda faltam 2 dias, brinquem ao carnaval, porque a vida são 3 dias e o carnaval 4! Divirtam-se!