Creme rico de espinafres

Se no início seguia receitas que via de sopas e papas, cedo comecei a alterar receitas e a inventar outras tantas. Não é defeito, é feitio. Sou incapaz de seguir uma receita à risca. Dava uma péssima pasteleira. 
Hoje temos creme rico de espinafres. Gostaram do nome? Achei que ficava pomposo. 

Regra geral faço as sopinhas consoante os frescos que tenho em casa disponíveis ou os mais biológicos que consigo encontrar na altura. 
O meu creme rico de espinafres leva 100g de batata (uma batata grande), 50g de cenoura, meia cebola pequena, 50g de espinafres (há lagartas que comem mais quantidade), 50g de lentilhas verdes, 250ml de água e um fio de azeite. 

Começou por cozer previamente as lentilhas enquanto preparo todos os outros ingredientes. Depois, junto todos os ingredientes, com excepção do azeite, no robot de cozinha e seleciono 11 minutos, a 100º no programa 3. Ao fim deste tempo junto o fio de azeite e cozo por mais 1 minuto. 

Delicioso!

Preparar o carro para o bebé

Este é também um pormenor importante na preparação da chegada de um bebé, basta pensarmos que vai ser o primeiro lugar onde o bebé vai estar depois de sair da maternidade, mesmo antes de chegar a casa.

Muitas famílias optam esta altura para trocar de carro, pelos mais variados motivos, seja porque o carro actual só tem dois lugares, porque não tem cinco portas, porque a bagageira é pequena, etc. etc…

Eu não tenho uma carrinha, nem um SUV. Pessoalmente não acho que seja obrigatoriamente necessário ter um carro desse género para ter filhos. No entanto, também nós trocámos de carro quando começámos a pensar aumentar a família. O meu carro é descrito como um compacto familiar com alma desportiva, ou por outras palavras Alfa Romeo Giulietta.

Os critérios de escolha foram: nível de segurança (o mais importante de tudo), conforto, viabilidade (até porque recém-papás não têm porquinho mealheiro para um carro que passe a vida no mecânico), sistema de isofix, cinco portas, uma bagageira com um espaço decente que desse para um carrinho e compras de supermercado e, já agora, um carro que me continuasse a fazer sentir bem e não uma reclusa da maternidade J.

Não dispensámos, no entanto, uma revisão e uma higienização completa (estofos, filtros de ar, AC, etc.) do carro, de modo a garantir que seria um ambiente completamente seguro para receber e transportar um recém nascido com poucas defesas.

Como acessórios extra que considero essenciais, comprámos um protector de bancos para colocar sob o isofix, só porque sou muito picuinhas com os meus carros, e um espelho para o banco traseiro para poder observar o bebé quando me desloco sozinha com ele.

No espaço de um ano, não precisei de mais espaço de bagageira, e fomos bem carregados com tudo o que precisávamos para uma semana de férias no Algarve. Senti-me completamente segura a conduzir com um bebé dentro do carro e foi completamente prático em dias de sol e de chuva.

Novas dicas para recém mamãs a caminho

Vou ser tia outra vez, estou tão contente 🙂 E sempre que há bebé novo a caminho, há bitaites que vêm à cabeça.

Apesar do Francisco já ter 15 mesinhos (passou tão rápido), ainda há dicas e truques do início da maternidade que estão bem frescos na cabeça. Por isso mesmo, e aproveitando este novo pequenote a caminho, decidi partilhar com todas algumas coisinhas que ficaram por falar no início da criação do blog.

Dicas nunca é demais para recém mamãs, não concordam? Não, não acontece só a vocês. Acontece a todas, por isso é bom partilhar. Vou mesmo aproveitar as questões que surgem agora a estes amigos. Se também vocês tiverem questões que gostariam de ver faladas aqui no blog, deixem comentário. Não é preciso puxarem os cabelos de desespero ou entrarem em pânico natural.

Agora aqui entre nós, neste momento ainda não se sabe se vou ser tia ou “tio” 🙂 , mas tenho cá um pressentimento que vai ser um lacinho cor-de-rosa.

Creme de coentros com batata doce

Desta vez a sopinha foi feita para toda a família e na panela. Não me perguntem porquê, mas para mim, creme de coentros faz-me lembrar o Alentejo e tem de ser feito na panela. É daquelas coisas que nem eu sei explicar porquê mas é como me faz sentido e sabe bem.

Já há algum tempo que não fazia creme de coentros e com um molhinho de coentros do frigorífico, nem vamos pensar duas vezes.

Como a ideia foi fazer este creme para toda a família, vamos lá esquecer pimenta e sal para temperar. E, desta vez, decidi inovar para poder utilizar as batatas doces que tinha na despensa. Normalmente utilizo batata normal. Devo dizer que não foi nada mal pensado porque o resultado final foi delicioso e mais cremoso que o costume.

Um molho generoso de coentros, 3 batatas doces granditas, 1 cebola, 3 dentes de alho e azeite qb. Estes são os ingredientes necessários.

A preparação também é super simples. Descasquem os alhos e a cebola e cortem em fatias grossas. Alourem ligeiramente no azeite, que deve cobrir quase por completo o fundo da panela. Depois juntem o molho de coentros, misturem com a cebola e o alho que ainda alouram e pouco depois juntem as batatas doces cortadas em fatias de, mais ou menos, 1 a 2 cm, para ser mais rápida a cozedura. Cubram tudo com água e tapem a panela. Deve levar cerca de 20 minutos até ficar pronta a cozedura. Por último passem a varinha mágica até ficar um creme homogéneo.

Para o vosso bebé a sopa está pronta a servir e deliciosa. Para os adultos, sugiro condimentar com sal refinado e pimenta a gosto, voltar a mexer e antes de servir salpicar com cebola frita ou croutons.

Espero que gostem desta sopinha. Cá em casa todos adoramos.

Oh constipação, larga-me!

Que inverno longo este. E parece que não me lembro de ter estado tantas vezes e tanto tempo constipada como este inverno. Ok, tenho uma “esponjinha de vírus” a viver agora lá em casa, que faz questão de trazer tudo o que é bicharada, mas tornou-se num ciclo vicioso sem fim.

A mãe está constipada, o pai está constipado, o bebé está constipado e cada um tem a sua farmácia pessoal. O primeiro a ficar bom não tem hipótese de aproveitar esses momentos de liberdade por muito tempo. Quando dá por si, já está novamente com ranhoca a escorrer pelo nariz abaixo ou um ataque de tosse que parece fazer saltar os pulmões.

Felizmente o Francisco já tem mais de 12 meses e podemos ir reforçando as defesas com alguma vitamina C das laranjas, seja ao comê-las ou a beber um suminho natural mais diluído. Mas mesmo assim… este inverno está malvado. Aerossóis e neo-sinefrina têm sido presenças habituais nos nossos dias. E de manhã é tentar replicar o melhor possível o bonequinho da Michelin nos pobres coitados de meio metro.

O melhor mesmo tem sido ao fim-de-semana dar uns passeios para apanhar o sol envergonhado que por vezes aparece, mas chega a segunda-feira e pronto… lá vem bicharada nova da escola. Estes miúdos aprendem cedo a partilhar estas coisas.