A caminho do Carnaval

Ainda falta um mês para o Carnaval, mas para as mães de pequenotes isso significa que é já amanhã, porque simplesmente o tempo voa.

Se forem como eu, estão já a pensar qual será a máscara deste ano (ou as máscaras). Há sempre a possibilidade de comprar e também à possibilidade de fazer, porque não? O mais importante é ter piada, que seja quentinho porque no Carnaval ainda faz frio, e acima de tudo, que eles se divirtam. 

No ano passado, o Francisco tinha 3 meses, e eu optei por fazer a máscara. Foi um nigiri lindoooo e fofinho. A ideia, confesso, veio do Pinterest e não foi muito difícil de fazer. Fiquei orgulhosa do resultado. E para um bebé tão pequeno não se tornou nada incomodativo.

Este ano já iniciei a minha busca de ideias e já encontrei uma vencedora, mas não vou revelar ainda. É surpresa….! Uma coisa é certa, vou voltar a aventurar-me nas costuras e mais uma vez vou fazer a máscara de Carnaval. Para já, preciso de tecido cor-de-laranja, preto e azul. Já estou a falar demais….

Para quem ainda não tem ideias que tal, para menina, fada Sininho, sereia, capuchinho vermelho, deusa grega, Morango ou princesa Leia. E para menino, cavaleiro medieval, pirata, peter pan, espantalho, Charlie Brown ou Wally. 

Deixem as vossas sugestões 😉

Passeio de domingo à tarde

AmadoraBD

Com uma constipação tão recente, apesar de ser “fruto da época”, tento não andar com o pequenote na rua nestes dias mais agrestes. Hoje o passeio foi até ao 29º Festival Internacional de Banda Desenhada mais conhecido por Amadora BD. O vento ficou lá fora, o frio também e fomos ver cores, expressões, histórias “aos quadradinhos” para pequenos e graúdos. Uma boa maneira de incutir o “bichinho” da leitura e de puxar pela criatividade e imaginação no meu pequenino. Cultura visual não faz mal a ninguém, certo? Se tiverem oportunidade passem por lá, é uma tarde bem passada.

Adivinham onde fomos hoje?

gymboree_1

Estivemos no Gymboree do Restelo a passar uma manhã super divertida. O Francisco adorou, divertiu-se imenso, e gostou de partilhar as experiências com meninos novos. Participámos num programa sensorial que estimula os sentidos através das texturas, cores e sons e que, através da brincadeira, estimula também a descoberta, o equilíbrio e a coordenação.

Continue a ler “Adivinham onde fomos hoje?”

Despertar os sentidos

POST_alentejo

Passear é das melhores coisas para despertar os sentidos e fazer novas descobertas. O que muitas vezes é comum para os adultos, para os pequenotes é todo um novo mundo.

No fim de semana fomos descobrir mais um pouco do Alentejo e para o Francisco foi aventura atrás de aventura. As pedrinhas do chão junto à piscina foi a parte favorita. Agarrar num monte de pedrinhas e soltá-las aos poucos para que façam barulho 🙂 Mas também sentir as folhas das árvores, as bolotas, todas as texturas que pudesse alcançar. Ver terras de árvores sem fim, com sons e barulhos diferentes como o grunhir dos porquinhos. Ver as formigas a carregar as migalhas (como é difícil apanhá-las…). Parecia tudo novo, um mundo completamente à parte.

Segurar os pequenotes nesta excitação toda é que às vezes é mais complicado 🙂 Parece que chegámos ao fim das mini férias mais cansados do que no início. Mas vale a pena para ver toda a alegria e sorrisos rasgados, já para não falar nas “conversetas” infinitas do falador Francisco.

Férias de Verão – parte IV – Regresso a casa

Férias IV

E de repente chega ao fim. Temos de fazer malas, outra vez, e de algum modo não me apercebi de ter tido férias, ou pelo menos da maneira a que estava habituada a ter. Foi relaxante, divertido, e não se pensou 1 minuto no trabalho, por outro lado, o cansaço está cá, ainda que seja, desta vez, um cansaço diferente. Não me apercebi das caipirinhas, dos mojitos e do dolce far niente à beira da água, ou mesmo até do trabalho para o bronze. Pensando bem, não sei se não volto mais branca do que cheguei.

Continue a ler “Férias de Verão – parte IV – Regresso a casa”

Férias de Verão – parte III – Urgência no hospital

ferias III

Bem… Faz parte, não é?

Felizmente o Francisco é uma criança super saudável e até agora não apanhámos sustos com ele, nem tivemos de recorrer a médicos sem ser para as consultas de rotina. Mas há sempre uma primeira vez, e qual a melhor altura para se estrear nas urgências de um hospital se não no primeiro dia de férias.

Continue a ler “Férias de Verão – parte III – Urgência no hospital”

Férias de Verão – parte II – A primeira vez na praia e na piscina

Ferias II

A manhã foi para descobrir a piscina, o quanto é bom chapinhar na água. Parece uma sardinha rechonchuda a dar à perna e aos braços. Apesar de ser bom andar na bóia, o melhor mesmo é andar entre o colo da mãe e do pai a brincar. E se não fosse a fominha e o sono acho que ainda agora lá estava.

Continue a ler “Férias de Verão – parte II – A primeira vez na praia e na piscina”

Férias de Verão – parte I – Fazer as malas

Ferias I

Listas, listas e mais listas. Porque é a primeira vez que fazemos umas férias a três e nada pode ficar em casa. Não sou, no entanto, daquelas que leva a casa às costas sem necessidade.

O destino deste ano é um apartamento em Porto de Mós, Lagos, Algarve. Então, para facilitar a vida a toda a gente, e porque não gosto de encher o carro até ao tutano, tudo o que pudermos comprar no Algarve vou evitar levar. Pelo que me dei conta existem por lá supermercados e por isso não há qualquer necessidade de ir com peso extra. Fraldas, toalhitas (levo comigo só o necessário para a viagem), iogurtes, resguardos, etc. são coisas que podemos perfeitamente comprar por lá. Por outro lado, não posso esquecer nada do essencial e pessoal (roupa, toalha, roupa de cama, higiene pessoal, etc., etc.).

Continue a ler “Férias de Verão – parte I – Fazer as malas”

Barriga de férias

IMG_20180814_092910

Por esta altura (mais ou menos), no ano passado, estava de partida para as últimas férias a dois ou as primeiras férias a dois mais uma ervilha, com preferirem. A altura pareceu-me perfeita, o segundo trimestre, e realmente recomendo. É a altura mais calma da gravidez e em que ainda não rebolamos. Se a viagem for de avião então é mesmo aconselhável esta altura para o fazer. Eu fiz 8h de viagem e confesso que chega a um ponto que se torna um pouco desconfortável, mais do que habitual simplesmente não temos posição e estamos limitadas a duas. No entanto, há duas coisas importantes a não esquecer e que normalmente não nos passa pela cabeça. Hoje em dia as companhias aéreas podem pedir uma declaração em como a grávida pode viajar sem ter nenhuma condição especial (uma gravidez de risco, por exemplo), talvez porque não apreciam um bom ataque de pânico só porque rebentaram as águas a 36 000 pés de altitude. Ainda assim, as companhias aéreas quase nunca falam disso antecipadamente, só nos deparamos com a situação já no check-in, por isso aconselho a pedirem uma declaração ao vosso/a médico/a. Não custa nada e vão prevenidas, e com mais um papelinho junto dos outros 300. A outra coisa é… Comida. Todas sabemos que as grávidas parecem hamsters que escondem comida em todo o lado, só para poderem ter sempre qualquer coisinha à mão. Com voo, transfers, etc, etc. passamos muito tempo sem comer e isso não pode ser. O aconselhável é agua, pão e fruta. Eu adaptei este conselho e levei comigo água até ao controlo do aeroporto e depois do comprei uma nova garrafa. Em vez de pão levei bolachas maria e em vez de fruta levei boiões de fruta para bebés, estes não sofrem dentro da mala e têm os ml aceites pelas regras de controlo dos aeroportos.

Continue a ler “Barriga de férias”