Creme rico de espinafres

Se no início seguia receitas que via de sopas e papas, cedo comecei a alterar receitas e a inventar outras tantas. Não é defeito, é feitio. Sou incapaz de seguir uma receita à risca. Dava uma péssima pasteleira. 
Hoje temos creme rico de espinafres. Gostaram do nome? Achei que ficava pomposo. 

Regra geral faço as sopinhas consoante os frescos que tenho em casa disponíveis ou os mais biológicos que consigo encontrar na altura. 
O meu creme rico de espinafres leva 100g de batata (uma batata grande), 50g de cenoura, meia cebola pequena, 50g de espinafres (há lagartas que comem mais quantidade), 50g de lentilhas verdes, 250ml de água e um fio de azeite. 

Começou por cozer previamente as lentilhas enquanto preparo todos os outros ingredientes. Depois, junto todos os ingredientes, com excepção do azeite, no robot de cozinha e seleciono 11 minutos, a 100º no programa 3. Ao fim deste tempo junto o fio de azeite e cozo por mais 1 minuto. 

Delicioso!

Creme de coentros com batata doce

Desta vez a sopinha foi feita para toda a família e na panela. Não me perguntem porquê, mas para mim, creme de coentros faz-me lembrar o Alentejo e tem de ser feito na panela. É daquelas coisas que nem eu sei explicar porquê mas é como me faz sentido e sabe bem.

Já há algum tempo que não fazia creme de coentros e com um molhinho de coentros do frigorífico, nem vamos pensar duas vezes.

Como a ideia foi fazer este creme para toda a família, vamos lá esquecer pimenta e sal para temperar. E, desta vez, decidi inovar para poder utilizar as batatas doces que tinha na despensa. Normalmente utilizo batata normal. Devo dizer que não foi nada mal pensado porque o resultado final foi delicioso e mais cremoso que o costume.

Um molho generoso de coentros, 3 batatas doces granditas, 1 cebola, 3 dentes de alho e azeite qb. Estes são os ingredientes necessários.

A preparação também é super simples. Descasquem os alhos e a cebola e cortem em fatias grossas. Alourem ligeiramente no azeite, que deve cobrir quase por completo o fundo da panela. Depois juntem o molho de coentros, misturem com a cebola e o alho que ainda alouram e pouco depois juntem as batatas doces cortadas em fatias de, mais ou menos, 1 a 2 cm, para ser mais rápida a cozedura. Cubram tudo com água e tapem a panela. Deve levar cerca de 20 minutos até ficar pronta a cozedura. Por último passem a varinha mágica até ficar um creme homogéneo.

Para o vosso bebé a sopa está pronta a servir e deliciosa. Para os adultos, sugiro condimentar com sal refinado e pimenta a gosto, voltar a mexer e antes de servir salpicar com cebola frita ou croutons.

Espero que gostem desta sopinha. Cá em casa todos adoramos.

Creme de grão para o Kiko comilão

Já há algum tempo que não deixo aqui uma receita de sopinha. Então vou partilhar hoje a receita de um delicioso Creme de Grão.

Eu pessoalmente não aprecio grão, mas sou apologista que se deve dar de tudo a provar aos nossos pequenotes (nas devidas alturas recomendadas) para que sejam eles a decidir do que gostam e não gostam. Mesmo quando não ficam fãs de algum alimentos, volto a tentar mais tarde e cozinhado de maneira diferente, porque pode ter sido introduzido numa altura menos boa ou o pequenote não gostar daquele modo em particular.

O Francisco, ao contrário de mim, gosta muito de grão. Apesar de já ter comido anteriormente, nunca tinha comido assim e a experiência até foi bastante positiva. Primeiro estranhou mas depois comeu tudo até ao fim sem qualquer protesto.
Para fazer no robot de cozinha, vamos precisar de 200g de batata, 180g de grão, 70g de abóbora, meia cebola média, 250g de água e um fio de azeite para acrescentar no final. E bastou 11 minutos, a 100º, na velocidade 3.
Esta quantidade deu para, aproximadamente, 3-4 sopas de 200ml.

Para a próxima irei acrescentar a esta receita umas folhinhas de agrião ou espinafre. Parece-me que não ficará nada mal.

Sopinha de peixe, que tal?

Já há algum tempo que não partilho umas convosco as papas e sopinhas do Francisco e não é por mal. São tantas as coisas a acontecer todos os dias que se vos contasse tudo, para além de não conseguir fazer outra coisa, teria de publicar uns 20 posts por dia… e estou a ser simpática com os números.

Regra geral, nesta altura, toda a criança adora peixe. O tormento virá mais tarde, basta pensarmos um pouco na nossa infância e colocarmo-nos nos pés dos nossos pais. Como tal, temos de aproveitar estes maravilhosos dias para lhes dar uns belos lombinhos de peixe, seja na forma de sopa ou comida sólida, depende da idade.

Hoje partilho convosco a minha receita de Sopa de Pescada com Bróculos. Estes são os ingredientes: 100g de lombinhos de pescada; 100g de brócolos; 100g de batata; 50g de cenoura; meia cebola média e um fio de azeite.  

Uma coisa que me deixa sempre muito apreensiva são as espinhas do peixe. Temos mesmo de ter aquele cuidado extra e verificar que não passa nenhuma.

Para fazer a sopinha, eu cozo primeiro a tranche de pescada. Pode optar por cozer normalmente num tacho com água ou ao vapor. Ao mesmo tempo dou um primeiro entalão também aos bróculos. Depois, utilizo o robot de cozinha onde coloco todos os ingredientes cortados em pequenos pedaços, com excepção do azeite e da pescada. 10 minutos, velocidade 3, a 100º. Quando terminar este tempo acrescento a pescada já bem cozida e o fio de azeite por mais 2 minutos, à mesma velocidade e temperatura.

Fica delicioso, e o meu pequenito adora.

Multiplicar a sopa

preparado sopa

As quantidades de ingredientes são poucas e nem sempre dá jeito comprar uma cenoura e um pedaço de abóbora. Uma solução que, para além de prática, fica em conta é comprar um preparado para sopa que, hoje em dia, há disponível em qualquer supermercado. Por exemplo, se comprarem um preparado para sopa de agrião (Pingo Doce, neste caso) podem utilizar a cenoura, o alho francês, o agrião baby e a abóbora para quatro sopas distintas. A estes ingredientes basta depois juntar as bases (cenouras, batatas, cebola, azeite) e proteínas. Continue a ler “Multiplicar a sopa”

Vitória! Vitória! Ele gosta da sopa!

sopa ervilha frango

Quando fazemos uma sopa que os nossos pequenotes realmente gostam e comem com gosto, parece uma vitória sobre o melhor e maior exército do mundo. Um aleluia com direito a anjinhos a cantarolarem e tudo. Os nossos olhos enchem-se de água, verdadeiras lágrimas de orgulho deles e de nós, e estrelinhas brilham em volta da nossa cabeça. Eu passei por tudo isto e um pouco mais esta semana quando o dei ao Francisco sopinha de frango com ervilhas. Acho que vou fazer esta sopa semana sim, semana não a partir de agora, até ele enjoar. E eu sou daquelas mamãs que nem posso reclamar muito porque o meu menino come muito bem. Mas tenho de aproveitar não acham?

Continue a ler “Vitória! Vitória! Ele gosta da sopa!”

O drama da sopa

papa abobora maca canela

Não querer sopa. Todos os pequenotes têm esta fase. Não é porque lhe estão a romper os dentes, não é porque não têm fome, não é porque a sopa não presta (até porque muitas vezes já comeram a mesma sopa noutra ocasião e não houve qualquer problema), nem é porque têm alguma dorzinha algures no corpito. É simplesmente porque sopa “não vai”. E como é que sabemos isso? Porque a frutinha vai que é uma maravilha, o iogurte vai que é uma maravilha e o leitinho vai ainda melhor. Só a pobre da sopa é que não vai de maneira nenhuma. Nem os alimentos favoritos vão.

Continue a ler “O drama da sopa”

A-B-C e mais letrinhas

a sopa do francisco

Quando começam os dentinhos a aparecer, começa também a vontade de morder e mastigar. Temos de aproveitar “a onda” e começar a dar-lhe coisinhas para se habituarem a mastigar sólidos. Uma das melhores introduções a este novo mundo de sensações são as massas em forma de letrinhas (pontos ou pevides também serve). Basta acrescentar às nossas sopas habituais uma pequena quantidade destas massinhas. Eu pessoalmente cozo à parte num pequeno tacho e junto a várias sopas, frescas ou antes de congelar.

Continue a ler “A-B-C e mais letrinhas”

Sopas & sopas lda.

sopas e sopas lda

Domingo é dia de fazer as sopas para a semana, a logística assim o exige. Do nada, a minha cozinha torna-se numa fábrica de sopinhas caseiras. O primeiro dia foi um desastre, acho que passei o domingo inteiro enfiada na cozinha a fazer sopas, mas não há nada como ganhar experiência. Como o tempo não abunda para o ser humano que dá por nome próprio de “mãe”, temos de arranjar maneiras de transformar um minuto em 20 segundos. Então como é que eu reduzi o meu tempo na cozinha aos domingos?! Regra geral faço 3 a 4 sopas diferentes todas as semanas e para isso, o primeiro passo é definir quais as sopas que vou fazer nesse dia. Hoje fiz três sopas: Batata doce e alho francês; Abóbora e borrego; Feijão verde e Frango.

Continue a ler “Sopas & sopas lda.”